Curso de Magistério: como funciona e para que serve?

O que é o Curso de Magistério? Como funciona e para que serve? Veja as respostas para estas perguntas e outros esclarecimentos nesta matéria.

Compartilhe esta postagem:

O que é Magistério ou Curso de Magistério? Esta matéria esclarece como funciona e para que serve esse tipo de curso ou área de atuação profissional.

De acordo com o Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, o termo magistério é definido como uma palavra relacionada ao ensino, mais especificamente, ao ato de ensinar ou ao cargo de professor.

Mas além dessa definição, o magistério também é o nome dado a um tipo de formação de nível médio que habilita profissionais para dar aula, ou seja, curso de nível médio em magistério; diferente de graduações como licenciaturas, as quais são formações de nível superior.

Para que serve o curso de Magistério?

O objetivo do curso de magistério é capacitar profissionais para lecionar no Ensino Infantil, ou seja, em creches e pré-escolas, e nas primeiras séries do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano).

Quer RECEBER no celular notícias de educação e concursos? Então clique e participe do nosso Canal no App Telegram

Como funciona o Curso de Magistério?

Trata-se de um tipo de curso profissionalizante que é realizado junto ao Ensino Médio. Ao longo desse período, os alunos entram em contato com disciplinas relacionadas à didática e metodologia de ensino, fundamentos da educação e alfabetização. 

Ou também o curso de magistério era ofertado como quarto ano adicional ao ensino médio. O aluno concluía normalmente o ensino médio em três anos, e se quisesse se formar em magistério, fazia o quarto ano adicional, somente estudando as disciplinas do curso de magistério.

Após a conclusão do Ensino Médio, aqueles que fizeram magistério tornam-se aptos para dar aulas a alunos da Educação Infantil e dos primeiros ano do Ensino Fundamental.

Ainda existe curso de Magistério?

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) recomenda que a formação de professores seja feita em nível superior.  Além disso, uma das metas do Plano Nacional de Educação (PNE) para 2020 era que todos os professores da Educação Básica – o que inclui o Ensino Infantil, Fundamental e Médio – tenham cursado licenciaturas. 

Nesse contexto, o curso de magistério foi naturalmente perdendo a força e, em seu lugar, surgiu a formação Normal Superior, também chamada de Curso Normal Superior. Esse curso também já foi extinto. E vale ressaltar que, Curso Normal Superior, não se refere a qualquer e nem a todo curso superior, trata-se de um curso exatamente com esse nome.

Portanto, nos dias atuais, quem pretende atuar como professor de Educação Infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental, deve fazer o curso superior de Licenciatura em Pedagogia.

No entanto, quem tem seu diploma de Magistério ou de Curso Normal Superior, continua valendo normalmente, e pode atuar na profissão ou participar de processos seletivos e concursos, desde que o edital exija tal formação.

É importante destacar, contudo, que embora o curso magistério tenha se tornado impopular, a palavra ainda segue sendo utilizada como sinônimo de docência ou da carreira de professor. Portanto, o magistério (a carreira) ainda existe, mas o curso foi substituído.

Quais são as alternativas ao curso de magistério?

Para quem deseja atuar como professor, existem algumas opções de formação. Veja as principais:

  • Pedagogia: o curso capacita profissionais para dar aula ao Ensino Infantil e Ensino Fundamental, além de atuar nas áreas de gestão escolar e educacional;
  • Licenciaturas: disponíveis em diferentes áreas como Ciências Biológicas, Artes Visuais, Química, Física, Matemática, Letras, Geografia e História, a graduação no grau licenciatura prepara profissionais para lecionar no Ensino Fundamental e Médio;
  • Segunda licenciatura: é um tipo de graduação voltado para aqueles que já possuem formação em um curso de licenciatura e desejam dar aula para outra área do conhecimento, no Ensino Fundamental e Médio;
  • Formação Pedagógica: os cursos de Formação Pedagógica, também conhecidos como R2 ou complementação pedagógica, são direcionados para pessoas que tenham diploma de graduação no grau bacharelado e desejam cursar licenciatura para dar aula no Ensino Fundamental e Médio. Mas o curso tem que ser compatível com a área que deseja atuar. Exemplo: Engenharia Civil tem muitas disciplinas de cálculos matemáticos, portanto o profissional dessa área pode fazer uma complementação em Matemática ou Física.

Veja também: cursos de Complementação Pedagógica ou R2 com inscrições abertas

Descubra se você possui o perfil para dar aula

Se você ainda está em dúvida sobre ingressar ou não na carreira de docente, que tal fazer o Teste Vocacional online e gratuito do Quero Bolsa? 

Baseado na Teoria das Inteligências Múltiplas, do psicólogo Howard Gardner, o teste relaciona profissões compatíveis com determinadas habilidades. Para acessá-lo, basta clicar no link: ►Fazer Teste Vocacional Grátis

Com informações do Quero Bolsa, parceiro do Castro Digital.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 12 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5.350 notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Ministério do Trabalho e Emprego).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. Patricia marques da Silva disse:

    Boa noite. Vcs tem esse curso do normal médio? Pois aqui na minha cidade existe processo seletivo que exige o curso de normal médio. Eu não posso participar porque tenho ensino superior em Pedagogia em licenciatura. Gostaria muito de fazer esse curso do normal médio.