5 erros de português mais comuns em provas de concursos públicos

Compartilhe esta postagem:

Lista com 5 erros mais comuns cometidos por candidatos em provas de português de concursos públicos. A disciplina está presente na maioria dos concursos, geralmente a primeira do caderno de provas, e é considerada o bicho-papão para muitos candidatos. As dicas dos erros também vale para as questões de português de vestibulares em geral e do ENEM.

1. Interpretação de enunciados e textos

É fundamental que o candidato leia o texto com cuidado e preste atenção aos enunciados das questões com cautela. A preocupação excessiva com o tempo pode tirar o foco de uma leitura concentrada durante a realização da prova.

Uma dica é sempre destacar os verbos de comando dos enunciados a exemplo de “compare”, “justifique”, assim como é fundamental grifar os textos que serão analisados.

Siga o Castro Digital nas Redes Sociais:

&nbspInstagram
&nbsp
&nbspFacebook
&nbsp
&nbspTwitter
&nbsp
&nbspWhatsApp .

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

2. Uso da crase

A crase é o motivo de confusão para muitas pessoas. A fusão do artigo feminino “a” com a preposição “a” tem regras específicas de emprego. Antes de fazer a prova, consulte todos os usos da crase em uma gramática (sugestão de gramática para concursos no link abaixo).

3. Ortografia

Se a banca que for corrigir a redação for muito criteriosa, é aqui onde o candidato pode ser eliminado. Ler jornais, revistas, livros e sites pode ser um bom caminho para evitar cometer erros de ortografia.

4. Emprego de pronomes

Este é um assunto recorrente em provas. Questões sobre pronomes frequentemente aparecem como “pegadinhas”. O concurseiro precisa tomar cuidado para não confundir as regras sobre colocação de pronomes oblíquos átonos, como “me”, “te”, “se”, “lhe”, “o” e “a”. Revisar o emprego dos pronomes antes de fazer a seleção é uma dica importante para os concurseiros.

Livro de Língua Portuguesa para concursos com teoria e questões comentadas

5. Onde x aonde

O uso oral de “onde” e “aonde” pode ser uma armadilha para o candidato na hora de aplicar o conhecimento na prova. “Onde” é empregado para ideia de algo fixo, que não tem movimento, como em “Onde você mora?”.

Já “aonde” acompanha verbos que dão ideia de movimento, de mudança, como em “Aonde você foi?”. Uma simples memorização que pode valer muitos pontos e colocações durante a seleção.

_________

Texto elaborado pela Editora 2B, parceira do Castro Digital.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!