Não seja irresponsável no uso da Internet! – Por Welyson Lima*

Compartilhe esta postagem:

Que a internet chegou para facilitar a vida moderna e deixar tudo mais moderno, isso é fato, indiscutível. Porém ao utilizá-la, faz-se necessário que tenhamos no mínimo responsabilidade por aquilo que fazemos e/ou postamos no uso da mesma. Racismo, pedofilia, traições e preconceitos dos mais variados são cada vez mais constantes na internet. Isso porque ela também, infelizmente, potencializou atitudes negativas como essas citadas.

► COMPARTILHE NO FACEBOOK

► COMPARTILHE VIA WHATSAPP

Não são poucos os casos de crimes virtuais vistos frequentemente e praticados por pessoas irresponsáveis, infelizes e que, por falta do que fazer, debruçam-se diante das teclas para “destilar veneno” nas pessoas de bem. Isso se dá porque a impunidade persiste em existir neste País, apesar de considerarmos triste e lamentável. E essa sensação de impunidade encontra no anonimato seu lugar de “refúgio”, já que atrás de um computador é sempre mais fácil compartilhar pensamentos preconceituosos, maldosos e negativos. Quantos casos de assédio virtual a crianças vemos acontecer e serem noticiados? É, caro leitor, os crimes virtuais não podem ser vistos como menos grave…

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Quem não se recorda da declaração desumana feita por uma estudante de Direito, por nome Mayara Petruso, de São Paulo? Disse ela: “Nordestisto não é gente, faça um favor a SP, mate um nordestino afogado”. Quanto a essa declaração estúpida, a linda Jornalista Raquel Sheherazade rebateu bem logo após o episódio.

E os inúmeros casos de racismo, o que dizer? Bem mais recentemente tivemos o caso dos dois jogadores de futebol: o zagueiro Dante, do Wolfsburg, equipe alemã, acusado de “entregar” a Copa de 2014 para a Alemanha, que foi xingado na sua própria página no Facebook, sendo que nesses xingamentos, inúmeras mensagens racistas foram publicadas. O outro jogador foi Michel Bastos, meia do São Paulo, chamado de “macaco” em sua conta no Instagram. E já tivemos vários outros casos: O da “Majú”, da Thaís Araújo etc., apenas para citar pessoas públicas. E as tantas pessoas não-públicas, não famosas?

O que se quer aqui neste artigo é chamar a atenção às autoridades, trazer à tona reflexão, e alertar àqueles que foram e são vítimas de crimes virtuais, de que se calar não é a atitude mais viável, é necessário sim fazer a denúncia. Existem canais de denúncia que investigam até mesmo a procedência das mensagens, ainda que tenham sido publicadas anonimamente. A própria Polícia Federal disponibiliza um site para denúncia (clique para acessar), além de outros.

Como ser humano, fica aqui o meu particular repúdio a essas práticas. E meu apoio e disposição a todo tipo de campanha que tenha ideologicamente o intuito de combater esse tipo de crime, assim como outras práticas desumanas, tal qual o racismo e a essa “ xenofobia” desmedida e persistente no País com relação aos nordestinos.

__________________

*Welyson Lima é Letrólogo, Colunista, Revisor, Corretor e Redator no Jornal O Mearim.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!