Professores do Maranhão decidem por paralisação de advertência todo dia 16 de cada mês até o final de 2013

Compartilhe esta postagem:

Os professores da rede estadual de ensino do Maranhão, em assembleias regionais realizadas em todo estado na última quinta-feira (12), nas sedes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipais do Estado do Maranhão )Sinproesemma), decidiram realizar paralisações de advertência de 24 horas todo dia 16 de cada mês até o final deste ano de 2013.

Compartilhe no Facebook

Essa paralisação refere-se somente às escolas da rede estadual de ensino do Maranhão, e a primeira já deve ser realizada nesta segunda-feira, dia 16 de setembro de 2013. Os professores deverão se concentrar nas sedes do sindicato. A partir do dia 17, as aulas voltam ao normal.

QUAL MOTIVO DA PARALISAÇÃO?

O protesto dos educadores e educadoras será contra a postura do governo Roseana Sarney que não cumpriu o acordo estabelecido com o SINPROESEMMA quanto aos prazos e a forma de pagamento de promoções, titulações, gratificação de funcionários e reajuste do Piso Salarial deste ano (retroativo a janeiro). Eles deveriam ser feitos no mês de agosto. Porém, a categoria foi surpreendida com um novo calendário, com pagamento até o final do ano.

A diretoria do SINPROESEMMA protestou e o secretário Pedro Fernandes (Seduc) assegurou que alguns pagamentos seriam em folha suplementar do dia 10 de setembro. Os números que apareceram nos contracheques de muitos trouxe mais confusão, pelo fracionamento. “De forma esdrúxula, o governo Roseana Sarney pagou o retroativo de fevereiro e metade do de março, e, o pior, sem qualquer comunicado oficial”, criticou o presidente do SINPROESEMMA, professor Júlio Pinheiro durante a assembleia.

“Na greve deste ano, depois de muitas negociações, avalizadas pela categoria em assembleias, chegamos a um acordo. Mas o governo tenta descumprir o estabelecido. Nós vamos mobilizar a categoria, vamos pra rua, vamos exigir o cumprimento do acordo”, disse Pinheiro.

“O Sindicato desmitificará a propaganda oficial do governo Roseana Sarney que anuncia como dádiva da chefe do Executivo conquistas que são fruto da luta da categoria; também mostraá que a educação pública estadual não é esse Paraíso vendido pela da mídia oficial”, anunciou Júlio Guterres, secretário de Comunicação do Sindicato.

A secretária-geral do SINPROESEMMA, professora Janice Nery, fez um chamamento para que a categoria ligue o sinal de alerta. “A preocupação da diretoria do Sindicato é que o governo do estado protele o pagamento dos retroativos agora e isso se acumule em janeiro, mês da revisão geral dos salários e implementação completa do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS)”, mostrou Nery.

_________________________

Com informações do Sinproesemma.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. socorro disse:

    Amigo e muito triste ver esses acontecimentos, no final quem perde e apenas os alunos, porque n diminui nada do salario dos Professores se votaram na mulher novamente para que reclamar equanto no mundo existir pessoas q so pensam em se da bem nunca muda foi o caso da maioria de pessoas que votaram no gonverno Roseana