Quando foi a última vez que você usou um disquete?

Compartilhe esta postagem:

Os disquetes já foram muito usados no passado para armazenamento de arquivos, mas perderam espaço para os CDs, DVDs e pen drives. A baixa capacidade de espaço, a instabilidade da mídia, que muitas vezes dava erro ao tentar reabrir um arquivo, e a evolução natural da tecnologia, decretaram a morte do disquete.

A última vez que usei um disquete foi há cinco anos, em meados do ano de 2007. Na escola em que trabalhava na época havia muitos disquetes na secretaria, então peguei alguns para que pudesse levar os arquivos das provas e apostilas que digitava em casa para serem impressos na escola.

E você, consegue lembrar e descrever a última vez que usou um disquete? Ou nunca usou? Comente com seu perfil do Facebook ou Google/Blogger.

Tive problemas com alguns disquetes ao tentar abrir os arquivos e rapidamente abandonei essa tecnologia, passei a transportar meus arquivos no cartão de memória do meu celular, um Sony Ericsoon modelo w200a, que usava um cartão Memory Stick M2.

Logo aderi aos pen drives, no início de 2008 comprei um Kingston de 2 GB, primeira geração, aquele com carcaça branca e detalhes verde. Esse foi meu primeiro pen drive e, como gostei da tecnologia, posteriormente adquirir outros e mais outros.

Uma das principais características da morte do disquete é, além da substituição dele por outras mídias, os computadores fabricados recentemente não têm mais o drive de leitura para disquetes. Este hardware está presente apenas em modelos mais antigos de computadores.

A morte do disquete faz parte da evolução da informática em que novas tecnologias são criadas e surgem a cada dia, tudo com o propósito de melhorar e tornar mais eficiente o que já existe.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!