Professores do MA rejeitam jornada de 24 horas semanais

Compartilhe esta postagem:

Os professores da rede estadual do Maranhão, após uma consulta realizada em todas as regionais pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sinproesemma), rejeitou a proposta do governo de criação da uma jornada de trabalho de 24 horas semanais.

A direção do Sinproesemma vai reafirmar, em negociação com o governo, a posição do sindicato e da categoria de manutenção da jornada de 20 horas e a inclusão de uma nova jornada de 40 horas na rede. E caso o Governo do Maranhão consiga aprovar a jornada de 24 horas, futuramente vai querer dificultar que professores tenham duas nomeações, porque somariam 48 horas, o que ultrapassa a jornada semanal máxima de 44 horas.

“A existência de duas jornadas na rede, de 20 e 40 horas, inclusive, foi amplamente discutida e defendida nas assembleias de debates e deliberações que foram realizadas ao longo da construção do Estatuto do Educador”, ressaltou o presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro.

Segundo o sindicalista, com a inclusão da jornada de 40 horas, a categoria chegará mais perto de conquistar a dedicação exclusiva, com salários melhores e melhor qualidade de vida para os educadores que fizerem a opção por esse regime. “Assim, o educador não terá necessidade de outro emprego, se dividindo em duas redes de ensino, o que gera grande desgaste para o trabalhador”, explica.

Nas regionais, os educadores disseram não à intenção do governo em ampliar a atual jornada de 20 horas para qualquer acréscimo, seja de 30, 24 ou mesmo 21 horas. “A categoria só aceita se for a inclusão de mais uma jornada de 40 horas e não a ampliação da jornada atual. E vamos dizer isso ao governo na reunião que será realizada nesta quarta-feira, 30, prevista como a última do processo de negociação em torno do Estatuto do Educador. A consulta nas regionais serviu apenas para reafirmar uma posição já definida, desde o início das discussões, em assembleias, na elaboração do Estatuto”, esclarece Pinheiro.

Encerrando a pendência sobre a jornada, nesta reunião, o Sinproesemma vai exigir que o governo envie, urgente, a proposta do Estatuto do Educador, até esta sexta-feira, 1º de junho, à Assembleia Legislativa, prazo previsto para encerrar a gestão do atual secretário de Estado de Educação, João Bernardo Bringel, que responde também pela Secretaria de Estado de Planejamento e deve desacumular os cargos.

“Não podemos deixar essa tarefa para um novo secretário. Queremos encerrar essa etapa no final desta semana”, conclui o presidente do sindicato.

_______________

Com informações do Sinproesemma.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!