Acesso ao ensino superior no Maranhão cresceu mais de 300%, mas 16% das crianças não sabem ler

Compartilhe esta postagem:

O IBGE constatou, de acordo com os dados do último censo de 2010, que o acesso ao ensino superior no Maranhão cresceu mais de 300% em 10 anos (2000-2010).

O surgimento de faculdades particulares, a descentralização do ensino – que só existia praticamente em São Luís e em Imperatriz – e o aumento da oferta de vagas nas universidades públicas são as principais razões desse crescimento.

Ao analisar o crescimento no acesso ao ensino superior, entre os anos 2000 e 2010, o estado ocupa o 4º lugar no ranking dos cidadãos diplomados. Segundo a pesquisa, o nível de escolaridade também aumentou, já que 96% dos maranhenses com idade entre 7 e 14 anos frequentam a escola.

Mas o levantamento revela um problema na educação básica: embora estejam matriculados, quase 35% dos alunos entre 7 a 9 anos ainda são analfabetos; assim como mais da metade dos idosos (53,9%) no Maranhão. A taxa de analfabetismo teve uma queda de 27% no Estado comparada à situação do ano 2000. No país, a redução foi de quase 30%.

E mais: no Maranhão, a proporção de crianças de 10 anos de idade que não sabiam ler e escrever é estimado em 16,4%, perdendo apenas para Alagoas, com 17,8%.

Os dados apontam também que a população rural é a mais afetada pela falta de instrução.

________________
Referência: G1 Maranhão.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!