Vídeo na internet ajuda pagar tratamento de criança

Compartilhe esta postagem:

Um vídeo caseiro publicado no YouTube ajudou os pais de Isabela, de 3 anos, a pagarem a cirurgia e o tratamento da menina, que nasceu sem mexer o braço direito. Em 2010, o vídeo virou sucesso na internet. Nele, Isabela briga com o pai por ele ter fechado a porta do quintal onde ela estava brincando. Na negociação, ela diz: “Não fecha a porta, tá? Tranquilo?” A expressão virou sua marca registrada. Esse primeiro vídeo, que pode ser visto mais abaixo, até a publicação deste artigo, já teve mais de 11 milhões de visualizações.

Logo que o vídeo estourou, o pai, Felipe Horst, recebeu um convite do Google para se tornar parceiro do YouTube. Além de receber dinheiro pela publicidade inserida no vídeo, o canal “Menina Isabela” também gerou lucro para a família. Horst fez novos vídeos com a filha e, onze clipes depois, a página já recebeu mais de 30 milhões de visitas.

Isabela sofreu uma lesão grave no conjunto de nervos do braço direito durante o parto. Com menos de 2 anos, ela passou por uma cirurgia delicada para retomar o movimento. “Isabela fez a operação em maio [de 2010]. Ainda estávamos pagando a cirurgia quando o vídeo foi publicado”, conta Horst em entrevista ao G1. A renda inesperada do YouTube ajudou a família a quitar a dívida. “O plano de saúde não cobria o tratamento. O gasto com a cirurgia foi muito alto. E, no final, foi Isabela quem pagou”.

O YouTube monitora todos os vídeos enviados ao site e, caso considere que um vai se tornar popular, um representante do Google entra em contato com a pessoa que postou. A receita dos anúncios é, então, dividida entre o site e o usuário para incentivá-lo a criar novos clipes. Segundo o YouTube, o usuário recebe a maior parte da divisão (confira).



________________

Referência: Portal G1.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!