Banda Larga do Brasil cresce mais de 50% em um ano

Compartilhe esta postagem:

As conexões de banda larga no Brasil tiveram um crescimento de 51,5% na comparação com março de 2011 para o mesmo período de 2010, de acordo com estudo realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), divulgado nesta quarta-feira (4). São 38,4 milhões de conexões de banda larga, sendo que 20% destas apresentam velocidade superior a 2 Mbps.

Segundo o quinto índice Brasscom de Convergência Digital (IBCD), o país obteve a pontuação 6,75 (em uma escala de até 10) e cresceu 15,4% em comparação ao índice anterior, divulgado em 2008. O acesso à internet e a computadores atingiu 45% e 53% da população, respectivamente.

A previsão da Brasscom é que o crescimento da demanda por banda larga aumente 35 vezes até 2019. Segundo estudo da AT Kearney, encomendado pela associação, os smartphones e tablets aumentam 24 e 122 vezes, respectivamente, o tráfego da rede de internet. A associação diz que a previsão do mercado de TI nacional em 2020 irá girar entre US$ 150 bilhões e US$ 200 bilhões.

A Brasscom afirma que, embora a evolução seja significativa, o Brasil ainda tem problemas nas redes de conectividade, educação e inclusão digital. O crescimento ainda não é suficiente para acompanhar mudanças e tendências globais, afirma Nelson Wortsman, diretor de intraestrutura e convergência digital da Brasscom. O problema, segundo ele, é o alto preço e a baixa qualidade da banda larga no país. Ele compara que o custo médio de pacotes de 1 Gbps no Brasil é de R$ 85, um dos mais altos no mundo. Em comparação feita por ele, a velocidade média na Rússia é de 18,2 Mbps, enquanto no país é de 1,3 Mbps.

Worstman afirma a TV digital interativa é um dos meios para melhorar a inclusão digital no país. Quase 100% dos lares possuem televisor e o conversor digital começa a ser acessível. Com softwares, pode-se atingir boa parte da população.

O Brasil possui 72 milhões de computadores em uso, uma média de 1 PC para cada 4 pessoas. Em 2010 foram comercializados 13,7 milhões de máquinas, sendo que 55% foram desktops e 45% foram notebooks e netbooks.

O estudo mostra que o brasileiro gasta 2,6% do seu orçamento doméstico com Tecnologia da Informação e Comunicação. Entretanto, no terceiro trimestre de 2010, a taxa de penetração de banda larga no país chegou a 6,3% de acessos por habitantes, menor que a da Argentina, Uruguai e Chile.
________________
Referência: Portal G1.

RECOMENDE ESTA NOTÍCIA PARA SEUS AMIGOS NO FACEBOOK

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!