Nasa cria mapa do aquecimento global

Compartilhe esta postagem:

O mundo está aquecendo. Quer o fenômeno seja causado pela ação humana ou por mudanças naturais do planeta, o fato é que os termômetros de todo o mundo estão marcando números maiores desde o início da revolução industrial.

Esta é a conclusão de um estudo da Agência Espacial Norte-americana – Nasa, que comparou dados da década de 70 e 2000 com a média obtida entre os anos de 1951-1980.

O estudo em andamento é conduzido pelos cientistas do Instituto Goddard de Estudos Espaciais (GISS), e concluiu que a temperatura média global aumentou cerca de 0,8º C desde 1880. Dois terços do aquecimento ocorreram depois de 1975, a uma taxa de aproximadamente 0,15-0,20º C por década.

Os mapas acima mostram as variações de temperaturas medidas entre 200 e 2009 (mapa superior) e 1970-1979 (mapa inferior). Os mapas não mostram temperaturas absolutas, mas indicam o quanto uma região esquentou ou esfriou comparado ao valor considerado normal, medido entre 1951-1980.

Esse período foi escolhido como base para comparação porque o U.S. National Weather Service usa um período de três décadas para definir o que são as temperaturas médias. Como as análises do GISS começaram em 1980, o período de 1951-1980 era o mais recente para comparação. Outro fator que ajudou a defini-lo como padrão é o fato de ser um período no qual a maioria dos adultos de hoje cresceu, o que pode ser uma boa referência.

As análises do GISS foram feitas usando dados públicos disponíveis de 6.300 estações meteorológicas do mundo, medições das temperaturas do mar feitas em navios e satélites e observações de estações na Antártica. Esses três conjuntos de dados são colocados em um programa de análise que calcula a tendência das anomalias.

As temperaturas locais, em períodos curtos, podem variar significativamente devido a eventos cíclicos previsíveis (dia e noite, estações do ano), ou outros mais difíceis de prever, como ventos e chuvas. Mas a temperatura global depende, basicamente, de quanta energia o planeta recebe do Sol e quanta ele irradia de volta ao espaço. Essas quantidades variam muito pouco.

A quantidade de energia emitida pela Terra depende muito da composição química da atmosfera, especialmente da quantidade de gases causadores do efeito estufa. É aí que entra o estudo do GISS: o objetivo é fornecer uma estimativa das mudanças de temperatura que possa ser comparado com quantidade de CO2, aerosóis e mudanças na atividade solar. Assim, além de descobrir que a Terra está aquecendo, seria possível apontar por que ES está acontecendo.
________________
Referência: Terra.

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!