UEMA é obrigada a ter cotas para negros e índios

Compartilhe esta postagem:

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) a partir de agora é obrigada a ter cotas para negros e índios. As cotas nas universidades é uma das políticas do governo Lula, apesar da governadora Roseana Sarney ser contra, as cotas devem ser implantadas na UEMA.

O projeto, de autoria do deputado Chico Gomes, é no mesmo modelo dos que já determinam as cotas nas universidades federais, inclusive a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) já usa o sistema de cotas.

Leia também:
Eleição para reitor da UEMA, alunos não têm vez

Em outubro, a governadora Roseana vetou o projeto alegando vícios de legalidade. O plenário da Assembléia Legislativa rejeitou o veto da governadora e submeteu o projeto a uma nova votação. O mesmo foi aprovado pela maioria, mesmo sendo formada de deputados governistas. A nova lei foi promulgada nesta segunda-feira (22) pelo presidente da AL, Marcelo Tavares, publicada no Diário da Assembleia Legislativa do MA.

De acordo com a lei, a Universidade Estadual do Maranhão, agora é obrigada a reservar 10% das vagas de seu vestibular para negros e índios egressos da rede pública de ensino.

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE
Este texto é propriedade do Castro Digital. A reprodução em quaísquer outros tipos de mídia só é permitida se a fonte for citada.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!