Polícia de Bacabal foi barrada pela Justiça

Compartilhe esta postagem:

A Polícia Militar de Bacabal planejou e até chegou a executar uma grande ação para combater o avanço do crack e outras drogas na cidade. Mas essa iniciativa não pôde ser concluída porque foi barrada pelo Poder Judiciário de Bacabal.

O Major Eriverton Araújo, comandante da 2ª Companhia Independente, atualmente 15º Batalhão de Polícia Militar, determinou que o serviço de inteligência da PM fizesse uma verificação e um mapeamento dos pontos de distribuição de drogas na cidade. As investigações partiram de denúncias feitas pela população através do telefone 190.

A partir dessa investigação a polícia identificou 19 pontos de distribuição de drogas em nove bairros de Bacabal. Esses locais referem-se a onde a droga chega em grande quantidade e a partir deles são distribuídas para diversos outros locais de venda direta aos consumidores, as chamadas boca de fumo.

Com todos os dados em mãos, a polícia planejou uma abordagem simultânea a todos esses pontos de distribuição. Mas para tal, precisava de mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. Para pedir os mandados, a polícia reuniu toda documentação da investigação e enviou para o Fórum de Justiça de Bacabal, cujo diretor na época era o Dr. Osmar Gomes, juiz da 1º Vara da Comarca de Bacabal. Os mandados foram negados pela Justiça e assim, a PM de Bacabal viu todo um esforço ir por água abaixo. Sem mandado Judicial a Polícia não pôde fazer nada e teve que cancelar a operação.

Esse fato não é recente, aconteceu em novembro de 2009, mas só agora foi revelado, na reunião para criação da rede social de combate às drogas, dia 27 de outubro. Na época, hávia dois meses que o Major Eriverton Araújo tinha assumido o comando da Polícia Militar de Bacabal. A operação não ia acabar com toda a droga da cidade, mas diminuiria bastante.

MP de Bacabal cria rede de combate às drogas

Atualmente em todos os setores da sociedade, para que haja sucesso, o que se prega é o trabalho em equipe. Com a segurança pública, não é diferente, é necessário a integração entre sociedade, polícia e Poder Judiciário, cada um fazendo o seu e unindo em benefício a todos.

Nesse episódio, a população fez a sua parte, denunciou. A polícia também, montou a operação e estava pronta para executar. Mas o Poder Judiciário… Simplesmente fez o desfavor de barrar tudo. Como se já não bastasse o fato da Justiça brasileira ser mais lenta que uma tartaruga com as quatro patas quebradas!

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!