Mec ameaça processar alunos que usaram Twitter no ENEM 2010

Compartilhe esta postagem:

Através do seu perfil no Twitter, o Ministério da Educação ameaçou processar estudantes que dizem ter usado redes sociais dentro da sala de aula enquanto faziam o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) neste domingo (7). Mais cedo, mensagens na rede social teriam sido enviadas por alunos que ainda estavam dentro da sala de prova do Enem, por celular.

A mensagem postada pelo MEC no Twitter afirma: “Alunos q já ‘dançaram’ no Enem tentam tumultuar com msgs nas redes sociais. Estão sendo monitorados e acompanhados. Inep pode processá-los”.

A mensagem do MEC, em tom de ameaça, foi criticada por estudantes. Mas o MEc afirma que o texto está no “tom do Twitter” e que os leitores interpretaram errado. O MEC também afirmou que vai investigar o fato de alunos terem postado mensagens no Twitter de dentro das salas de prova.

No final da tarde, o ministério acionou a Polícia Federal (PF) para investigar a atuação de um repórter do “Jornal do Commercio” de Pernambuco, que tuitou do banheiro de um dos locais de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) o tema da redação, um dos testes aplicados neste segundo dia de prova.

De acordo com a assessoria do MEC, a PF foi acionada porque o repórter teria tentado violar o sistema de segurança, por fazer uso de um aparelho celular, e revelar o tema da redação antes do prazo mínimo de permanência dos candidatos no local de prova.

Outro usuário chamado Marcel Danilo mandou uma mensagem pedindo ajuda para uma questão. “Alguém fez a 9?” As respostas estão todas só no meu caderno?”, disse ele.

Já a usuária Emanuella Galvão não teve a mesma sorte. “Pegaram meu celular e desmontaram”, disse ela, ao sair da prova.

A contraofensiva do MEC ocorre depois de estudantes de todo o país ameaçarem entrar com ações pedindo a anulação do exame por causa dos muitos problemas registrados no sábado: erro no cartão resposta e problemas na prova amarela.

Os candidatos inscritos no Enem que tiverem sido prejudicados pelo erro devem procurar o Ministério Público (MP) para relatar o problema. A recomendação é do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante. Uma das possibilidades, segundo ele, é que o exame seja anulado e aplicado novamente.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o erro foi detectado logo que as provas começaram e todos os fiscais das 128 mil salas de prova teriam sido avisados para orientar os estudantes que seguissem a ordem numérica das questões. O Inep garantiu neste sábado (6) que nenhum estudante será prejudicado. O órgão vai disponibilizar nesta semana um site na internet para que os candidatos abram um requerimento e peçam a correção invertida da folha de marcação.

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Raimundo de Castro disse:

    O Ministério da Educação eliminou três candidatos que teriam usado o Twitter durante as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) aplicadas neste fim de semana. Segundo a assessoria de imprensa do MEC, os estudantes são dos estados de Tocantins, Pernambuco e Minas Gerais. O candidato de Tocantins foi flagrado pelos fiscais usando o celular no primeiro dia de prova, no sábado (6), e os outros dois estudantes infringiram as regras do exame, no domingo (7).