INEP pode cancelar ENEM 2010 de alunos prejudicados e fazer nova prova

Compartilhe esta postagem:

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do Ministério da Educação, Joaquim José Soares Neto, informou neste domingo (7) que não descarta a realização de uma nova prova para os alunos que se sentiram prejudicados com erros nos cadernos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste final de semana. “No limite, pode acontecer. Não posso descartar”, afirmou.

Segundo Soares Neto, os problemas serão analisados individualmente. “Estamos levantando a dimensão do problema para resolver caso a caso.”

Mais tarde, o Ministério da Educação divulgou nota no site oficial reafirmando que os alunos prejudicados “poderão ter nova chance”. De acordo com o texto, o Inep vai receber os relatórios de aplicação das provas nos próximos dias. “Ficando comprovado que o direito dos estudantes foi prejudicado, [o Inep] estudará uma forma de reaplicar a prova”, informou o MEC.

Soares Neto disse também que o órgão vai abrir na quarta-feira (10) uma página na internet para reclamações de estudantes que se sentiram prejudicados com os erros no caderno de respostas do primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O espaço funcionará até o dia 16.

Apesar de ainda não ter um levantamento de quantas pessoas tiveram problema com o exame, a estimativa é de cerca de um 1% das provas amarelas, cerca de 20 mil cadernos, estavam com erros de impressão. A maior parte dos cadernos – 90%, segundo o Inep – teria sido trocada.

Soares Neto afirmou que o Inep mantém uma reserva de 10% do total de provas por local de aplicação do exame e ainda conta com os cadernos de quem faltou para serem usados em caso de necessidade. De acordo com ele, essa reserva foi utilizada em alguns locais.

Apesar dos problemas ocorridos, o presidente do Inep disse considerar a realização do Enem deste ano “um sucesso”. “Temos a avaliação de que tivemos sucesso nesse processo”, afirmou Soares Neto.

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Unknown disse:

    Garimpei na internet a seguinte fala: Já dizia Murphy: “Nada é tão ruim que não possa piorar!” — “O amplamente comentado erro da inversão dos cabeçalhos dos gabaritos é simultaneamente tão primário e tão grave que chega a ser patético que tenha acontecido em um exame desse porte e com tamanha importância. Os anúncios das inevitáveis conseqüências jurídicas já começaram a se propagar pela rede, e o ENEM 2010, que precisava definitivamente de uma renovação de credibilidade…” na minha humilde opinião – já começou morto e enterrado.
    Meus filhos realizaram a prova em Cuiabá, Mato Grosso. Já li muitos comentários onde o MEC diz que os fiscais sabiam dos erros e orientaram os alunos. Isto é mentira! Poderiam até saber, mas não orientaram. Minha filha que percebeu o erro do cartão, já no final da prova, quando já estava preenchendo o tal cartão. Ninguém na sala foi orientado a coisa alguma. E em outro local, na sala onde meu filho também realizava a prova aconteceu quase a mesma coisa – somente depois que um aluno alertou para a inversão no cartão é que o fiscal saiu em busca de orientação.
    Assim, como aqui em Mato Grosso, constatei através dos noticiários que o mesmo aconteceu em outros estados brasileiros – Além de questões repetidas, trocadas e outras “desaparecidas” a situação tornava-se mais trágica e/ou cômica – não sei como definir – com fiscais totalmente perdidos, despreparados, mau orientados e mau informados, pois a cada nova orientação que chegava era alterado o que já havia sido falado e feito anteriormente, aumentando o nervosismo, a ansiedade e o pânico entre os estudantes. E para cada sala ou local de prova as informações e orientações eram diferentes. Não acreditam? Então juntem alguns estudantes que prestaram o tal exame do ENEM em diferentes locais e comparem as suas respostas…
    Como podem gastar mais de R$ 200 milhões para fazer uma prova com tantas falhas e erros? Onde estavam os responsáveis que não revisaram as provas e os gabaritos antes de imprimir? Será que o estudante brasileiro é tão insignificante que não merece receber uma prova de qualidade? – E ainda vêem falar em Dignidade Humana / Ética – acho que mais uma vez querem brincar com a nossa cara…
    Proibiram o uso de lápis e da borracha, pois isso poderia confundir o estudante no preenchimento do tal cartão… Que piada de mau gosto… Que incoerência…
    Quem pode nos confirmar e garantir que esses cartões serão corrigidos de forma a não prejudicar nenhum dos milhares de estudantes espalhados por esse Brasil imenso? Mais uma piada…
    E é essa piada de prova que definirá o futuro de milhares de alunos que passaram meses preparando-se para obter um desempenho satisfatório no tão esperado e comentado ENEM. Estudaram, se preparam, criam expectativas e ao abrir o caderno de provas, constataram que o “ENEM – perfeito na teoria, mas um desastre na prática” ( fala garimpada na internet).