Estudante do MA é classificada em concurso de redação do Senado Federal

Compartilhe esta postagem:

Classificada entre os participantes do 3º Concurso de Redação do Senado Federal, com o tema “Brasília: Esfinge brasileira”, a estudante Gabrielle Conceição Mendonça, 16 anos, embarca neste domingo (14) para Brasília. A jovem está na terceira série do ensino médio do Centro de Ensino Paulo Freire, escola da rede estadual de ensino localizado no bairro do Turu, em São Luís. A única representante do Maranhão participará, na próxima sexta-feira (19), da solenidade de premiação que será realizada no Palácio do Congresso Nacional, em Brasília.

Gabrielle Mendonça foi a única classificada entre os estudantes de todas as escolas das 19 Unidades Regionais de Educação, que participaram do concurso que teve como tema “Brasília, capital dos brasileiros”. Na oportunidade, concorreu com representantes de onze escolas da rede estadual de ensino, assegurando como prêmio um microcomputador portátil e certificado de classificação no concurso.

Surpreendida pela direção da escola com a informação de sua classificação no concurso de redação, a estudante disse que não se julgava preparada para participar do concurso. Ela revelou que redigiu o texto na madrugada no último dia do prazo, com base em depoimentos de pessoas que conviveram de perto com a experiência da construção de Brasília.

Estimulada por colegas de sala de aula, ela conta que esta foi a sua primeira experiência em um concurso nacional de redação. De origem humilde, residente no bairro Sol e Mar, Gabrielle Mendonça conta que para escrever a redação com o tema “Brasília: Esfinge brasileira” conectou os dois pontos geográficos.

Escolha do tema

Para definir o tema, explica, fez uma conexão entre o Egito e Brasília, incluindo a falta de recursos para a construção das pirâmides e o Distrito Federal. “Na época da construção de Brasília, no Brasil, as principais riquezas estavam localizadas no litoral e no centro sul e era quase impossível como transportar o material de construção de Brasília”, pondera.

Únicas remanescentes das sete maravilhas do mundo antigo, a construção das chamadas pirâmides do Egito, denominadas como pirâmides de Gizé, foi um desafio sem precedentes na história. As pirâmides foram erguidas pelos faraós Quéops, Quéfren e Miquerinos há cerca de 2700 a.C., desde o início do Antigo Reinado até perto do Período Ptolomaico.

Gabrielle Mendonça acredita que o então presidente Juscelino Kubitschek aceitou desafio semelhante de levar o desenvolvimento econômico ao centro do Brasil, também as condições sociais e econômicas adversas em que ocorreu.

A construção da nova capital brasileira integrava o plano de governo que tinha 31 metas distribuídas entre energia, transportes, alimentação, indústria de base, educação, e, a meta principal ou meta-síntese: Brasília. O plano visava estimular a diversificação e o crescimento da economia brasileira, baseado na expansão industrial e na integração dos povos de todas as regiões do Brasil por meio da nova capital localizada no centro do território brasileiro, na região do Brasil Central.

Segundo ela, ao decidir construir Brasília, Juscelino Kubitschek sentenciou que “deste Planalto Central, desta solidão que em breve se transformará em cérebro das altas decisões nacionais, lanço os olhos mais uma vez sobre o amanhã do meu país e antevejo esta alvorada com fé inquebrantável e uma confiança sem limites no seu grande destino”.
________________
Referência: assessoria de comunicação do Governo do Maranhão.

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!