Confirmado erro na prova amarela do 1º dia do ENEM 2010

Compartilhe esta postagem:

A gráfica RR Donnelley Moore, responsável pela impressão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), confirmou nesta segunda-feira (8), que 21 mil cadernos da prova amarela do primeiro dia do exame foram distribuídos com defeito. No total, 33 mil cadernos foram impressos com defeito de ordenação.

Estudantes que fizeram a prova amarela do Enem neste sábado (6) reclamaram de vários problemas, como a falta de algumas questões, a duplicação de outras e questões diferentes com a mesma numeração. Além disso, havia perguntas da prova branca misturadas no meio do caderno. Todos esses erros foram confirmados pela gráfica.

De acordo com a gráfica, segundo as normas de segurança, depois que as provas são impressas, não é permitido ler o material para fazer revisão. A gráfica considera que o erro está “dentro da normalidade técnica”. Em que pese o impacto e a abrangênia desse episódio, o defeito encontrado representa um índice de 0,003 sobre as quase 10 milhões de provas impressas, estando absolutamente dentro da normalidade técnica para esse processo industrial.

MEC DIZ QUE ESTUDANTES PREJUDICADOS PODEM FAZER OUTRA PROVA

A assessoria do ministério informou na manhã desta segunda-feira que prevê que cerca de 2 mil pessoas tenham direito a refazer o Enem, devido aos erros na impressão de cadernos de prova amarelos. Segundo o MEC, o exame deve ser reaplicado para essas pessoas entre o fim de novembro e o começo de dezembro de 2010.

DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO PEDE ANULAÇÃO DA PROVA DO PRIMEIRO DIA

A Defensoria Pública da União (DPU) informou nesta segunda-feira (8) que o Ministério da Educação (MEC) terá 10 dias para decidir se vai anular apenas a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) aplicada no último sábado (6). Para a DPU, não há necessidade de anular a prova aplicada neste domingo (7) porque não foram verificadas irregularidades.
saiba mais

Caso a decisão não seja tomada neste prazo a DPU vai entrar com uma ação coletiva na Justiça Federal pedindo a anulação e a marcação de uma nova data.

Nesta segunda, a DPU também informou que vai encaminhar ao MEC uma recomendação para anulação do exame. Essa recomendação é feita para evitar que o caso seja levado a Justiça.

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!