Malária ataca população de Bacabal

Compartilhe esta postagem:

A malária está atacando e preocupando a população de Bacabal das zonas rural e urbana. Apesar de haver uma redução dos casos de malária nos últimos anos, os números atuais ainda deixam preocupação.

O chefe de endemias da secretaria de saúde de Bacabal, Vicente Ferreira da Silva, afirma: “Houve uma redução de 40% de um ano para outro dos casos de malária em Bacabal. Atualmente Bacabal tem uma média de 50 a 60 casos de malária por ano.

Recentemente houve o diagnóstico de três casos de malária no bairro Novo Bacabal. As pessoas que são infectadas pela doença passam por um acompanhamento de seis meses dos agentes de endemias.

Raimundo da Conceição Nascimento, pescador de 58 anos, é um desses casos recentes de malária na cidade. O pescador afirma: “se um agente de endemias não tivesse vindo logo para examinar e monitorar o tratamento, eu teria morrido”. A partir do disgnóstico, a cada 30 dias ele recebe a visita do agente que faz o exame de sangue para constatar se o tratamento está surtindo efeito.

SAIBA MAIS SOBRE A MALÁRIA:

O que é
A malária, também conhecida como paludismo, é uma doença típica de países tropicais. No Brasil, por exemplo, é comum na região da floresta amazônica, fazendo muitas vítimas todos os anos. Na África, esta doença também é muito comum.

Transmissão
A malária é provocada por protozoários parasitas do gênero Plasmodium que são transmitidos para o ser humano através da picada da fêmea do mosquito anopheles. O mosquito pica uma pessoa contaminada, levando os protozoários para outra pessoa.

Sintomas
Após ter adquirido a doença, a pessoa começa apresentar alguns sintomas. O principal deles é a febre. O doente começa sentir muito frio, seguido de fases de extremo calor. Estas febres são constantes, porém a periodicidade é irregular. As dores de cabeça, náuseas, hemorragias e fadiga também são sintomas.

Problemas de saúde provocados
A doença pode provocar problemas hepáticos, respiratórios, cardiovasculares, cerebrais e gástricos. Após apresentar os sintomas, a pessoa deve ser conduzida rapidamente a um médico ou hospital para começar o tratamento. Este é feito a base de remédios e de uma substância chamada quinina.

Já existem vacinas em desenvolvimento contra esta doença. É importante evitar regiões com incidência desta doença. Outra precaução é tentar eliminar o mosquito anopheles, dificultando sua reprodução.
________________
Referência: artigo criado com base na reportagem de Nívea Arrais, da TV Mirante.

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!