Hacker ‘do mal’ brasileiro é preso em São Paulo

Compartilhe esta postagem:

Semana passada a Policia Civil de São Paulo prendeu um dos maiores hackers ‘do mal’ brasileiros. Trata-se de um comerciante de 24 anos, considerado um dos maiores invasores de redes de computadores do Brasil.

A prisão aconteceu na quinta-feira (3) na sede da empresa dele na região da Bela Vista, São Paulo capital. O comunicado da prisão só foi feito ontem porque a polícia estava investigando a participação de outras pessoas.

Hacker é toda e qualquer pessoa que possui conhecimento avançado em sistemas de computadores e informática, isso independe da idade ou formação acadêmica. Quando esse hacker usa seus conhecimentos para boas causas, é chamado hacker do bem, quando usa para prejudicar os outros, é chamado hacker do mal.

Integrantes da Delegacia de Repressão a Delitos Cometidos por Meios Eletrônicos do Deic (Departamento de Investigações sobre Crime Organizado) prenderam o ele por extorsão. Segundo a polícia, depois de obter informações confidencias de um banco de investimento, ele exigia US$ 500 mil para não desviar US$ 2 milhões.

A polícia monitorava o hacker desde o dia 1º de junho, quando integrantes do setor de segurança do banco revelaram a ação. Os funcionários disseram que a instituição passou a receber e-mails com senhas de diretores e extratos das movimentações de correntistas.

A proposta do preso era vender um projeto de segurança. O texto era assinado por John. Para tornar ainda mais intrigante a situação, o telefone celular fornecido para contato foi comprado utilizando informações pessoais de um dos diretores do banco.

Outro e-mail enviado por uma conta diferente,no mesmo dia prometia desviar US$ 2 milhões das contas. Para evitar, a direção deveria pagar 25% desse valor. O remetente identificou-se como Lino.

Os policiais agiram durante um encontro entre o autor do e-mail e representantes da instituição financeira. Os investigadores conheciam o comerciante devido a outras ações de invasão a redes bancárias.

Ele negou ser ou conhecer Lino. E disse que o objetivo era demonstrar a fragilidade do sistema e oferecer uma solução eficiente, mesmo que para isso tenha utilizado meios ilícitos. Segundo a polícia, ele confessou as invasões e disse ter comprado o chip utilizando números de documentos do diretor da empresa.
______________
Referência: Portal G1.

CLIQUE AQUI PARA CADASTRAR SEU E-MAIL E RECEBER AS ATUALIZAÇÕES DO CASTRO DIGITAL.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. Anônimo disse:

    E o hacker iria até o banco pra pegar meio milhão de dólares e sair carregando?? ou ele já ia aproveitar e abrir uma poupança pra depositar o dinheiro?? Não insulte a inteligência das pessoas com uma história tão mal contada assim senhores "autoridades competentes".

  2. Anônimo disse:

    ele agiu como hacker iniciante, pra quê toda inteligencia pra invadir um sistema e uma burrice pra ir lá pessoalmente e fazer do jeito do gerente do banco ? ele foi burro.