Inclusão digital para índios na Bahia

Compartilhe esta postagem:

Quem visitar a Aldeia de Itapoã em Olivença, distrito de Ilhéus (465 km de Salvador), vai encontrar índios que frequentam escolas, surfam nas praias ilheenses e agora estão participando de um projeto de inclusão digital.

Sete nações indígenas compostas por 24 aldeias estão incluídas no projeto por meio do site Índios on-line, um portal de diálogo intercultural. A rede conta com a parceria da ONG Thydêwá, idealizadora do projeto, com o apoio do Ministério da Cultura, por meio do programa Pontos de Cultura Viva e da Associação Nacional de Apoio ao Índio (Anai).

O objetivo, de acordo com o índio Jaborandy Yandê, um dos coordenadores do projeto é possibilitar que o índio seja o seu historiador, antropólogo, fotógrafo e seu próprio jornalista.

Mais que um portal de divulgação cultural, o site é também um mecanismo que fortalece o movimento social indígena. É um espaço no qual se discutem questões referentes às demarcações de terras, maus tratos e preconceitos contra algumas tribos, e denúncia de crimes ambientais.

A nova sede do Índios Online, que está sendo finalizada em Olivença, dispõem de oficinas diárias de informática, atendendo a 30 índios. Os temas abordados são direitos indígenas, inclusão digital, turismo ecologicamente correto, cidadania, reciclagem, entre outros, escolhidos pela comunidade.
______________
Terra Tecnologia

CLIQUE AQUI PARA CADASTRAR SEU E-MAIL E RECEBER AS ATUALIZAÇÕES DO CASTRO DIGITAL.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Madá disse:

    É, meu querido Castro… sonho com o dia em que as pessoas com albinismo também serão incluídas no mundo digital… Do nosso grupo, aqui de mais de quarenta pessoas, apenas três estão incluídos, o que dificulta e muito a nossa comunicação…parabéns aos indígenas, mas vamos lutar pelo nosso espaço também. Inclusão tem de ser pra todos!