Maranhense no Haiti fala com a família

Compartilhe esta postagem:

Na madrugada de sexta-feira, por volta das 00h20, Inaldo Castro, maranhense que está no Haiti, telefonou para sua irmã Nazaré Castro da Silva, moradora do Conjunto São Raimundo, em São Luis. Em seguida, ela informou suas irmãs que residem no Rio de Janeiro e seus pais, que estão passando uns dias na cidade de São José de Ribamar.

Nazaré Castro (foto) disse que seu irmão (foto) contou que está bem de saúde e que não sofreu nenhum ferimento por causa do tremor de terra. Ele informou que estava em seu apartamento, na cidade de Porto Príncipe, junto com sua mulher, Isa Santos Munhões, que ele chama pelo nome de Mônica, no momento em que começou o terremoto.

Inaldo Castro afirmou à sua irmã que se protegeu embaixo de uma porta, pois “tudo estava se quebrando dentro do apartamento”. E que, logo em seguida, foi para o quintal do prédio onde estava hospedado, passando lá toda a noite.

Na manhã de quarta-feira, 13, como relatou Nazaré, ele disse que saiu para a rua, momento em que se deparou com a cena de destruição que virou a capital haitiana. Quinta-feira, Inaldo e sua mulher conseguiram uma carona com um amigo até a fronteira do Haiti com a República Dominicana, onde pegaram um transporte para a capital dominicana, Santo Domingo. “Eles estão na casa dos pais de Isa, no bairro Saintino Couti”, contou Nazaré Castro.

Ela revelou que agora sua família está toda tranqüila, por ter conseguido falar o marceneiro e ainda mais pela notícia de que ele está bem de saúde. Mas que agora, a grande luta dele é obter informações sobre a situação de seus colegas de trabalho. Segundo Nazaré:

Após descobrir como estão seus companheiros do serviço, Inaldo disse que vai cuidar dos trâmites para ele e sua mulher viajarem para o Maranhão, no mês de fevereiro.

Há uns 15 anos Inaldo foi trabalhar na França, como marceneiro, e após cinco anos sem dar notícias ligou para família informando que estava morando no Haiti e que continuava exercendo a mesma profissão. Junto com um amigo ele abriu uma marcenaria e alguns meses depois se casou com uma mulher da República Dominicana, mas ainda não tiveram filhos. Eles deveriam ter vindo passar o Natal e o ano novo no Maranhão, mas por problemas no passaporte da esposa, decidiram passar o fim de ano com os sogros na República Dominicana.

De acordo com Nazaré, após as festas do final do ano, seu irmão retornou para o Haiti no último dia 4 (segunda-feira), e dois dias depois ele ligou para os familiares informando que estava tudo bem e que já se encontrava em casa. Porém, na terça-feira, 12, a família do marceneiro foi surpreendida com a notícia transmitida pelos telejornais que informavam sobre o terremoto e diziam que o epicentro do tremor foi registrado a 16 km de Porto Príncipe, onde o marceneiro reside. “Desde então não tínhamos nenhuma informação sobre ele, mas graças a Deus está tudo bem”, desabafou ela.

Fonte: Jornal Pequeno.

ACESSE TAMBÉM:
RECADO DIGITAL – Seu site de recados para suas redes sociais na web.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!