Aldeia indígena tem internet banda larga

Compartilhe esta postagem:

Trezentos e doze índios da Aldeia Kiwoã, localizada dentro da Terra Indígena Karitiana, foram beneficiados com um link de internet banda larga no último dia 30 de setembro. O mesmo chega através de uma antena parabólica VSAT (sigla em inglês para Very Small Aperture Terminal) do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam).

A instalação na aldeia, a 150km da capital de Rondônia, foi resultado da parceria com o projeto de inclusão digital do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), que ofereceu curso de informática e doou computadores para a escola municipal da aldeia. É a primeira terra indígena do estado a receber uma VSAT equipada com sistema de banda larga IP Advantage, que permite um melhor acesso à rede mundial de computadores, com dois megabytes de velocidade compartilhada.

Além de funcionar 24 horas por dia, sem interferência de fatores climáticos, a antena também permite ligações telefônicas gratuitas para os demais terminais do mesmo tipo (cerca de 700 instalados em toda a Amazônia Legal) e para linhas convencionais através do direcionamento feito no Sipam em Porto Velho. “Nossos parentes índios têm direito a conhecer as tecnologias para se integrar à sociedade em condições de igualdade”, defende José Neumar da Silveira, gerente regional do Sipam. Responsável pela preservação da cultura indígena local, o cacique José Maria Karitiana, ou Poopa, só vê benefícios no contato dos índios com as novas tecnologias. “Nossa cultura nunca acaba. Essa ajuda faz crescer muito a aldeia, que precisa estudar para ter os mesmos direitos dos brancos”, revela José Maria.

Acesso para escola e órgãos públicos
Em cerimônia na aldeia na manhã da quarta-feira (30), treze indígenas receberam das autoridades do Sipam, Senai, TJ e da Caixa Econômica Federal seus certificados de conclusão do curso e comemoraram a inauguração da sala de informática. “Agradecemos ao Sipam pela parceria, sem ela não seria possível a nossa inclusão digital”, disse Inácio Karitiana, diretor da escola.

O acesso à internet também será útil para ações dos agentes da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que mantêm casas de apoio na aldeia. Hoje, o Centro Regional do Sipam em Porto Velho é responsável por 108 antenas, que são muitas vezes a única forma de comunicação em áreas isoladas como terras indígenas, postos de fronteira e unidades de conservação.

Fonte: O Amazônia.

ACESSE TAMBÉM:
RECADO DIGITAL – Seu site de recados para suas redes sociais na web.

Compartilhe esta postagem:

Sobre o autor | Website

Blogueiro há 11 anos da área de Educação e Concursos, já publiquei mais de 5 mil notícias neste site; Jornalista Técnico (Registro Nº 1102-MA - Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão - SRTE-MA).

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!